VISÕES - FICÇÕES (NOSTRADAMUS)

Data 1983
Autor António Joaquim Rodrigues Ribeiro

Já vejo o mar a crescer
Onda gigante a varrer
Só vejo corpos a boiar
Vejo a cidade a ruir
E o chão que se está a abrir
Só oiço gente a gritar

Ai, que eu estou a delirar
O que é que eu estou a inventar?
Não vos quis impressionar

São tudo fantasias que o cinema
Projectou no meu olhar
São as velhas profecias que o vidente
Deixou escrito p'ra assustar

Já vejo a vida a fugir
Da força de resistir
Já não consegue respirar
Do céu eu vejo descer
O fim em cargas a arder
Já ouço a terra estoirar

Ai que eu estou a delirar
O que é que eu estou a inventar?
Não vos quis impressionar