...O CORPO É QUE PAGA

Data 1983
Autor António Joaquim Rodrigues Ribeiro

Quando a cabeça não tem juízo
Quando te esforças
Mais do que é preciso
O corpo é que paga
O corpo é que paga
Deixa´ò pagar, deixa´ò pagar
Se tu estás a gostar...

Quando a cabeça não se liberta
Das frustrações, inibições
Toda essa força que te aperta
O corpo é que sofre
As privações mutilações

Quando a cabeça está convencida
De que ela é
A oitava maravilha
O corpo é que sofre
O corpo é que sofre
Deixa´ò sofrer, deixa´ò sofrer
Se isso te dá prazer...

Quando a cabeça está nessa confusão
Estás sem saber que hás-de fazer
E ingeres tudo o que te vem à mão
O corpo é que fica
Fica a cair, sem resistir

Quando a cabeça rola prò abismo
Tu não controlas esse nervosismo
A unha é que paga
A unha é que paga
Não paras de roer
Nem que esteja a doer...

Quando a cabeça não tem juízo
E tu te consomes, mais do que é preciso
O corpo é que paga
O corpo é que paga
Deixa´ò pagar, deixa´ò pagar
Se tu estás a gostar...
Deix´ò sofrer deixa´ò sofrer
Se isso te dá prazer...